Curiosidades e dicas - França




Quando chegamos a um lugar pela primeira vez, sobretudo uma cidade ou um país, é natural repararmos nas diferenças culturais e gastronômicas.

Vou falar de algumas curiosidades gerais que raparei assim que cheguei à França.

De tudo um pouco

  • No dia Primeiro de Maio, além de ser o dia do Trabalho, é também a Fête du Muguet. Nesse dia se presenteia muguet (lírio), que traz sorte. É comum encontrar os lírios em qualquer esquina para comprar, mas algumas pessoas preferem colher elas mesmas as flores.
  •  Dia 14 de julho se celebra o Dia da Bastilha, a festa nacional francesa, com músicas e fogos de artifício.


Le 14 juillet 2013 - Le Havre


·    O dia do trabalho, o dia do fim da guerra, a festa nacional e a festa de Assunção quase nunca são mencionadas pelo seu nome, e sim pelas datas: le premier mai, le 8 mai, le 14 juillet et le 15 août. É possível até que algum francês não saiba o que se celebra em algum desses dias.

· Os estabelecimentos comerciais costumam abrir até às 19h, os hipermercados até as 22h. Domingo quase nada abre.

·    Os banheiros de muitas casas podem parecer estranhos. Em um cômodo está o sanitário, em outro, a pia e o chuveiro. Nem sempre um cômodo está perto do outro. E não se tem o costume de usar lixeira. O papel é jogado no sanitário mesmo (e não entope!).

·         Já os banheiros de bares e restaurantes costumam ser mistos.


Banheiro misto em Deauville.


·          Os franceses são bem restritos com o horário de trabalho. E os sindicatos e as manifestações têm bastante força.

·     Os alunos franceses geralmente não têm aula às quartas-feiras, desde 1972.

·         Por causa disso, as estréias de filmes nos cinemas franceses acontecem na quarta-feira. Para dar uma ajudinha, são proibidas exibições de filmes na tv aberta na quarta à noite.

Trato pessoal

·      Formalmente a maneira de se cumprimentar alguém com quem não se tenha muita relação é com aperto de mãos e tratando por Monsieur e Madame.

·        Já entre familiares e amigos, é normal o cumprimento com beijos, inclusive entre os homens. Dependendo da região, dois, três ou quatro beijos.

·  Normalmente, a merci não se costuma responder nada em francês. Diferentemente no Brasil, respondemos “de nada” ao “obrigado”.

·      Se em algum momento você escutar alguém gritar le pied! (o pé), quer dizer que a pessoa está entusiasmada.

·     Sempre ouvi que os franceses eram mal-educados com os estrangeiros. Pois, não tenho nada a reclamar. Foram quase todos solícitos e educados comigo. E sempre com uma carinha boa para te dar um Bonjour!!

Transportes

·         O limite máximo nas autoestradas francesas é de 130km/h.

·     Quase todas as autoestradas francesas cobram pedágio. Para se ter uma ideia, de Le Havre a Paris há pelo menos 4 paradas, com preços variados, desde 1€ a 10€. Mas não se preocupe, sempre há algum aviso antes que te permite pegar a saída seguinte e ir por estradas nacionais e regionais, caso não queira ir pela autoestrada e pagar. Palavrinhas mágicas: péage (pedágio); sortie (saída).


Olha o péage aí!

·   Em lugares como Portugal e Espanha, as regras de trânsito são bem respeitadas. Na França são um pouco louquinhos conduzindo. Que tenha uma faixa de pedestres, não quer dizer que o motorista vai parar para você. Melhor esperar. Fora as ultrapassagens loucas que fazem. O contrário também acontece, muitos pedestres não esperam que o sinal esteja vermelho para os carros para poderem cruzar a rua.






·    Dependendo da rua ou bairro em que você vai estacionar o carro, quase sempre é necessário pagar. O bom é que em vários lugares os horários de 12 às 14h e após as 19h são gratuitos.


Dependendo do horário, tem que pagar pra estacionar!


·   Viajando em trem, diante das plataformas, há umas máquinas de cor laranja, as composteur, para validar os bilhetes. Viajar com um bilhete sem validar dá multa, se você for pego.

·      A maioria dos meios de transporte franceses está adaptada a passageiros com mobilidade limitada.

Restaurantes e Gastronomia

Na hora de comer fora, as diversas nomenclaturas dos estabelecimentos podem causar uma certa confusão. Tcharan!! Eis a diferença entre eles:

·   Em um café servem bebidas, croissants, baguettes, sandwichs e alguns petiscos.  No café-tabac também vendem cigarros, jornais, revistas, selos, cartões de telefone e bilhetes de ônibus.

·         Em um café-restaurant também servem refeições.

·    Geralmente chamam bistrot à cafeteria da esquina ou a qualquer local pequeno, mas também pode ser um restaurante pequeno e tradicional, desses com a toalha de mesa quadradinha.

·     A brasserie originalmente é uma cervejaria, mas hoje em dia se chama assim a um café-restaurant grande. Pode-se pedir tranquilamente prato único.

·         Já num restaurant, supõe-se que os clientes pedirão vários pratos e vinho. É um lugar mais chic.

·    O salon de thé é uma cafeteria mais fina, onde servem tortas e doceria francesa, além do café e do chá (thé).


·         Comer fora na França pode sair caro, principalmente por causa das bebidas. Uma boa maneira de economizar é pedir uma carafe d’eau (jarro de água). É um costume e muita gente pede nos restaurantes, ela não é cobrada. Atenção! Se você pedir uma bouteille d’eau (garrafa de água), vão trazer uma garrafa de água mineral e te cobrarão (com um preço salgado).




·         É bem normal ver os franceses comendo um sandwich no meio da rua.

·         No verão, costumam fazer o horário de almoço em alguma praça ou parque. Digo, comendo mesmo, fazendo a refeição!

·      Se você pede uma baguette (ou o que seja) numa boulangerie (padaria), é bem provável que a atendente pegue o pão com a mão sem proteção, a mesma mão que pega o dinheiro.




Enfim, depois de um tempo o que antes chamava a atenção passa a ser normal e você nem lembra mais que era diferente.
E assim, nos vamos reinventando, tudo junto e misturado!


Nenhum comentário

Back to Top