Cerveja De Koninck - 1ª Parte - História da cerveja da Antuérpia

No verão europeu de 2015, será inaugurado um centro de visitantes da cervejaria mais antiga da Antuérpia, a De Koninck.

Atualização: Já foi inaugurado e fizemos a visita em outubro de 2015. Você pode conferir neste post: De Koninck - 2ª Parte - Visita Interativa


Inaugurada em 1833, hoje em dia é a única cervejaria em atividade na cidade. Tem o segundo registro mercantil mais antigo, só perdendo para o Zoo.

Segundo conta a história, nos limites da cidade existia uma pousada, a De Plaisante Hof (o Jardim Feliz), onde depois funcionou a Cervejaria. Esse limite era representado por uma mão e os viajantes deviam pagar pedágio para entrar na cidade. Daí o símbolo da empresa, que no seu início se chamava De Hand, a mão. História muito parecida com a própria história da cidade e do gigante que cobrava pedágio.



A De Koninck foi a primeira cervejaria a usar o copo bolleke, e inclusive, pedir uma bolleke na Antuérpia, significa pedir uma cerveja De Koninck. Para quem gosta de técnica, esse copo é uma variação dos copos tipo Goblet ou Cálice, mas mais rebuscados. Sua boca larga valoriza certos aromas encontrados nas cervejas para as quais é indicado.


Bolleke da De Koninck
   
Depois da renovação deste ano, a cervejaria será aberta ao público e mostrará de maneira autêntica, educativa e interativa a história e o processo de fabricação de uma das cervejas artesanais mais famosas da Bélgica. A visita durará entre 75 e 90 min. e será feita desde uma passarela de 4m. de altura pela fábrica.
O espaço ainda contará com lojas de produtos artesanais bem como padaria, açougue e chocolataria. 

Cervejaria De Koninck em obras


Numa parceria com o mestre queijeiro Frédéric Van Tricht, reconhecido pelo Wall Street Journal como o melhor refinador de queijos da Europa em 2010, funcionam atualmente nas instalações da cervejaria, oito câmaras de maturação de queijos. A loja/café/restaurante Cheese & Wine Bar do mestre funciona na mesma região. Além dos queijos, você pode adquirir um livro onde é ensinado a combinar mais de 50 tipos de cervejas com vários queijos.

Bem em frente à fábrica, funciona De Pelgrim, um dos mais emblemáticos bares da cervejaria. Diz a lenda que a cerveja chega fresca e espumante, diretamente da fábrica por um tubo que passa debaixo da rua. Espaçoso e bem decorado, é um bar bastante agradável. O preço das comidas é um pouco salgado, mas para os amantes cervejeiros, a bebida está com um preço normal. Uma bolleke (330ml) da De Koninck sai a €2,70 e a Triple D’Anvers a €3,50.





Um pouco mais de técnica para quem gosta, sobre as duas principais cervejas da marca:

De Koninck – cerveja de alta fermentação, de cor âmbar. Graduação alcoólica de 5,2% vol. Arranque suave com final amargo.

Triple D’Anvers De Koninck – cerveja com segunda fermentação na própria garrafa, de cor âmbar claro. Graduação alcoólica de 8% vol.  Início ligeiramente doce com equilíbrio entre amargo e frutado.




Nenhum comentário

Back to Top