Tarraco - A Antiga Cidade Romana que deu lugar a Tarragona




Falar em influência romana na Península Ibérica já tá repetitivo, mas este domínio foi especialmente importante na cidade catalã de Tarragona, pois foi aqui que tudo começou. Pois vou falar da Tarragona Imperial, a cidade que serviu de modelo para as capitais provinciais em outras partes do mundo romano, conhecida antigamente como Tarraco.

A cidade foi o primeiro e mais antigo assentamento romano na Península Ibérica e, à partir do ano 217 a.C., serviu de base de abastecimento e alojamento de inverno durante o período de expansão romana por toda a península.

Após seu apoio e lealdade a Júlio César na Batalha de Munda, em 45 a.C., a cidade foi recompensada com o status de colônia com o título de Colonia Ivlia Vrbs Trivmphalis Tarraco, tornando-se a capital imperial da província da Hispânia Citerior, em 27 a.C., durante o reinado de Augusto e, depois, da Hispânia Tarraconensis.




Com o aumento de sua importância como centro administrativo e estratégico, foi devidamente dotada de imponentes edifícios públicos, como uma demonstração do poder romano, recebendo a visita de vários imperadores, entre eles Augusto e Adriano.

O sistema defensivo de muralhas de Tarraco é um dos primeiros exemplos de engenharia militar romana na Península Ibérica e um dos símbolos mais importantes da cidade, definindo sua forma desde a antiguidade até o século 19.


Parte original da antiga muralha.

Tinham também um plano urbanístico bem organizado, que se adaptava ao desnível da colina  por meio de uma série de terraços artificiais, que iam descendo em direção ao mar, o que também ajudou bastante na defesa, já que qualquer embarcação era avistada desde longe.

O porto teve grande importância para o crescimento da infra-estrutura da cidade, com seus estaleiros, armazéns e um grande fluxo marítimo.

Após um período próspero durante a época romana, teve início seu declínio no séc. III, passando pelo domínio dos visigodos e dos árabes, quando começa a se reerguer no séc. XII e, finalmente, em 1220, se torna realmente catalã.

A cidade é rica em importantes vestígios arquitetônicos e arqueológicos, o que hoje proporcionou alguns dados sobre a vida cotidiana, onde viveram mandatários, sacerdotes, comerciantes, cidadãos comuns e escravos.
 
1 - Circo Romano, onde eram disputadas as corridas de bigas.

2

3


Museu a céu-aberto, seus restos são importantes no desenvolvimento do planejamento e desenho urbanístico romano.
O Conjunto Arqueológico de Tarraco foi declarado Patrimônio da Humanidade em 2000 e possui pelo menos 14 monumentos catalogados, na cidade e arredores.



É possível ver muita coisa na rua, em outros casos é cobrada a entrada, estando em média a 2,40€, com entrada gratuita às terças-feiras.

Todos os anos, desde 1999, é realizado o Festival Tarraco Viva, onde são utilizados os monumentos e restos arqueológicos relacionados com a época romana, com teatro, música e qualquer tipo de demonstração de como era a vida em Tarraco.

A cidade também conserva muita coisa da sua época medieval, como a Catedral de Santa María, em estilo gótico.



Catedral de Santa María

Torre de Tintorero, da época medieval, construída junto à antiga muralha, tinha a função de proteção de uma das entradas ao centro da cidade.


Além dos monumentos antigos no meio da rua,  o contraste da terra amarelada com o azul claro do Mediterrâneo já alegra o dia! Lindo, lindo!
 
Anfiteatro, com capacidade para 15.000 pessoas, onde eram realizadas as lutas de gladiadores e com as feras, e onde eram executados os sentenciados à morte.




História e beleza, boa combinação!

Nenhum comentário

Back to Top