Seguindo os Passos do Pintor Rubens na Antuérpia

rubens antuérpia

O mestre do barroco flamengo, Peter Paul Rubens, foi um típico artista de seu tempo: pintor, escultor, desenhista, escritor, diplomata e inclusive, espião.  

Pintou quadros de vários gêneros: desde retratos até grandes telas com temas religiosos e quadros históricos. Sua posição social nas classes altas jamais tinha sido vista antes em artistas daquela época. 

Apesar de ter nascido em Siegen (Alemanha, 28 de junho de 1577) e ter percorrido quase toda a Europa desempenhando diversas funções, foi na Antuérpia que Rubens passou a maior parte da sua vida e onde se transformou num dos personagens mais importantes da História da Arte e maior nome do barroco flamengo, a arte produzida nos Países Baixos do Sul durante o domínio espanhol nos séculos XVI e XVII.

Antuérpia é a cidade de Rubens e a cidade belga faz questão de conservar os passos dados pelo famoso pintor com várias de suas obras espalhadas por igrejas, casas e museus. Assim como o diamantes, a cerveja, o chocolate e a moda, Rubens é motivo de orgulho para os moradores.

Ir atrás dos passos de Rubens é muito mais que fazer uma viagem pela história da arte, é também conhecer a cultura e o passado da Antuérpia e da Bélgica.

Vamos começar!

A- Groenplaats

Iniciamos o passeio nessa praça que é uma das mais importantes da parte antiga da cidade. Nela, uma estátua em bronze que representa o pintor nos dá as boas-vindas. Foi inaugurada em 1843 para comemorar o bicentenário de sua morte. Dali a gente segue para a Jan Blomstraat ( o "straat" significa "rua") em direção à Catedral.

rubens antuérpia

B- Brasserie Appelmans

Antes de chegar à Catedral, pararemos na Papenstraatje, 1 onde atualmente funciona um restaurante. Nos tempos de Rubens foi a Escola de Latim, onde o pintor iniciou seus estudos.

C- Onze-Lieve-Vrouwekathedraal (Catedral de Nossa Senhora)

A torre da catedral pode ser vista de vários pontos da cidade. Com seus 123 m. de altura, é a mais alta de toda a Bélgica. Nela estão quatro importantes quadros de Rubens:

- A Elevação da Cruz (1609-1610)
- A Ressurreição de Cristo (1611-1612)
- A Descida da Cruz (1611-1614)
- A Assunção da Virgem (1625-1626)

A entrada custa 6€ (grátis para crianças até 12 anos). Além dos impressionantes quadros de Rubens, há obras de outros artistas flamengos e exposições temporárias.

Mais informações: De Kathedraal

rubens antuérpia

rubens antuérpia

pintor barroco rubens antuérpia

rubens antuérpia

D- Grote Markt (Praça Maior)

Bem perto da Catedral está outra importante atração da Antuérpia, a praça Grote Markt, onde está o maravilhoso prédio do Stadhuis, a prefeitura da cidade. Quando Rubens voltou da Itália para a Antuérpia em 1608, recebeu a encomenda do quadro A Adoração dos Reis Magos, uma de suas obras primas, para decorar o edifício. Apesar de ter permanecido no "Salão dos Estados" nos tempos dourados da cidade, atualmente o quadro se encontra no Museu do Prado, em Madrid.

Na mesma praça, no número 7, se encontra o edifício onde funcionava a fraternidade São Lucas, uma associação de pintores da qual Rubens foi membro e mestre.


rubens antuérpia

rubens antuérpia

E- Sint-Pauluskerk (Igreja de São Paulo)

Seguindo pela Hoofstraat chegaremos à igreja de São Paulo, antigo monastério dominicano. Rubens pintou o fundador da ordem, Michael Ophovius, além de ter participado da construção do seu monumento funerário, que também está na igreja. Há outros três quadros de Rubens nessa igreja.

Mais informações: Sint-Pauluskerk

F- Sint-Carolus Borromeuskerk (Igreja de São Carlos Borromeu)

Ali perto em uma praça, a Hendrik Conscienceplein, há uma igreja barroca que foi originalmente dedicada a Santo Inácio, fundador dos jesuítas. Construída entre os anos 1615 e 1621, teve boa parte de seu desenho feito por Rubens, principalmente a fachada e a torre do relógio. Para o altar principal pintou dois retábulos: Os Milagres de Santo Inácio de Loyola e Os Milagres de São Francisco Xavier, obras que atualmente se encontram em Viena. O que pode ser visto lá é o teto da Capela da Virgem Bendita, também chamada Capela Rubens, que foi decorado pelo pintor.

Em 1718 uma série de 39 pinturas de Rubens foi destruída em um incêndio. Só um desenho com o tema do regresso da Sagrada Família do Egito se salvou e pode ser visto atualmente.

Mais informações: Sint-Carolus Borromeuskerk

G- Rockoxhuis (Casa Rockox)

Essa casa do século XVII na Keizerstraat, 10-12 pertenceu a Nicolaas Rockox, antigo prefeito da Antuérpia, colecionador, mecenas e amigo de Rubens. Fez encomendas de importantes obras do mestre para a cidade. Na casa-museu há obras do próprio Rubens e de outros pintores flamengos, como Van Dyck e Teniers.

Por enquanto, o museu está fechado para restauração e será reaberto em 24 de fevereiro de 2018.

Mais informações: Rockoxhuis

H- Sint-Jacobskerk (Igreja de Santiago)

A Igreja de Santiago (Lange Nieuwstraat, 73-75) é outra das igrejas ligadas ao famoso mestre barroco. Antigamente, servia de pousada para os peregrinos da Europa do Norte que faziam o caminho de Santiago de Compostela. 

Nela, Rubens assistia a missa diariamente, se casou com sua esposa Helena Fourment (uma fofoca: ela com 16 e ele com 53) e batizou os cinco filhos que teve com ela. O pintor está enterrado em uma de suas capelas, coroada com um altar feito pelo próprio. Além dele, na igreja estão os restos de Helena e mais 42 descendentes. Em 1642, a viúva mandou colocar sobre sua lápide a pintura A Virgem Rodeada de Santos. Acredita-se que Rubens pintou Helena Fourment como Madalena, Isabella Brant, sua primeira esposa, como a Virgem e a ele próprio como São Jorge.

Mais informações: Sint-Jacobskerk

I- Rubenianum

Atravessando a avenida Meir, a mais movimentada da Antuérpia, chegamos ao Rubenianum (Kolverniersstraat, 20) um centro de investigação da vida e da obra de Rubens. Nos tempos do pintor, o edifício foi sede da sociedade do arcabuzeiros (soldados típicos do séc. XVI, que iam armados com uma espécie de mosquete), do qual fazia parte Rubens como membro de honra.

Mais informações: Rubenianum

J- Rubenshuis (Casa de Rubens)

Acabamos na Wapperplein, 9-11, praça com o edifício mais importante desse passeio com a temática Rubens: Rubenshuis, a casa-museu do pintor. Depois de passar 8 anos na Itália (1600-1608), Rubens volta para a Antuérpia e compra a casa em 1610. Desenhou e fez várias reformas até que a casa se parecesse a uma vila italiana, com uma mansão em estilo barroco italiano e toques flamengos e jardim renascentista. Rubens viveu ali com sua primeira esposa, Isabella Brant, e três filhos, criou seu estúdio de pintura, instalou sua biblioteca e uma grande coleção de artes e foi onde morreu, em 1640 aos 62 anos.

A casa-museu pode ser visitada e dá uma ideia de como era a vida do mestre barroco, além de ter várias obras do próprio Rubens e de outros artistas. Mas da arquitetura original resta só a varanda da entrada e o jardim renascentista. Assim mesmo, a casa foi restaurada para parecer como era na época do pintor.

Mais informações: Rubenshuis


rubens antuérpia

rubens antuérpia

Atrações Extras

Há muitos outros lugares para visitar na Antuérpia que são ligados à vida de Rubens. Se ainda tiver ânimo e tempo, pode dar uma passada na casa dos seu pais na avenida Meir, 54 ou visitar o museu Maagdenhuis (Lange Gasthuisstraat, 33) , antigo orfanato feminino que possui várias obras de Rubens.

Um museu ligado a Rubens e muito recomendado, é o Museu Platin-Moretus (Vrijdagmarkt, 22-23). Moretus foi amigo infância de Rubens e criou em 1555 a primeira imprensa de livros. É o único museu do mundo reconhecido como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

O Museu Real de Belas Artes (Koninklijk Museum voor Schone Kusten) está fechado para restauração até 2019, mas contará com a Galeria Rubens, criada especialmente para mostrar os retábulos e obras que pertencem à coleção do museu.

Antwerp Baroque 2018. Rubens as an Inspiration

E quando digo que a Antuérpia é Rubens e vice-versa, não é exagero. Em 2018 a Antuérpia fará uma homenagem a Peter Paul Rubens e seu legado cultural barroco na cidade com o evento: Antuérpia Barroca 2018. Rubens Como Inspiração. O festival contará com exposições, eventos e shows que farão um paralelo com o barroco histórico de Rubens e a sua influência em obras de novos artistas contemporâneos. Está prevista também a inauguração em 2019 do Rubens Experience Center, um local com vistas interativas.



Em nenhuma outra cidade do mundo há tantos lugares e recordações de um dos maiores pintores que o mundo já teve. Definitivamente, Antuérpia é Rubens!

Deixo aqui um mapa com os pontos indicados no post:

Um comentário

Back to Top